Páginas

Receba mais dicas valiosas para você e seu negócio

Como se livrar de dívidas

É possível sair do vermelho com pequenas atitudes


Mulher com carteira
Foto: Getty Images

É possível livrar sua conta bancária de dívidas sem se submeter àqueles programas radicais que dá vontade de largar no dia seguinte. Mapeamos os quatro perfis mais comuns entre nossas leitoras e mostra o passo a passo para migrar de um para outro - de um jeito realista e definitivo.

1. A endividada compulsiva
Seu look financeiro: você vive atolada em dívidas.
Sua conta repaginada: o especialista em finanças pessoais Antonio De Julio, recomenda começar cortando o supérfluo. Para identificá-lo, anote seus gastos. É chato, mas conviver com o saldo devedor é pior. Procure negociar as dívidas que têm juros mais altos, como a do cartão de crédito e a do cheque especial. "Lembre-se de definir um valor de parcela que caiba no seu orçamento", alerta. Na vontade de se ver livre do problema logo, não é difícil querer pagar em menos tempo e não conseguir liquidar. O empréstimo consciente para concentrar os débitos num só lugar é a melhor alternativa, mas é preciso mudar seus comportamentos de consumo. Atitudes objetivas, como eliminar o limite de cheque especial e o cartão de crédito, também ajudam. Se você já tentou de tudo e não viu resultado, considere recorrer a um especialista. Pode ser um profissional que ajude a gerenciar finanças ou até um terapeuta, pois os gastos compulsivos podem representar uma tentativa de compensar outros problemas.

2. A aplicada que quer mais
Seu look financeiro: você aprendeu a poupar e investir e se considera num estágio confortável. Mas quer mais.
Sua conta repaginada: quem poupa já tem motivação. Mas para guardar mais é preciso encontrar outros estímulos. Nada melhor do que estipular metas. Daqui a três meses, você aumentará seus investimentos em 10%. Até o fim do ano, serão mais 10%.  Uma boa estratégia é direcionar uma parcela do valor das férias, do 13º salário e de bonificações para isso. Conforme você vai ganhando mais e tendo reservas, seu padrão de vida muda. E, sem perceber, está gastando absurdos com o smartphone, trocando de notebook como quem troca de sapato, jantando várias vezes por semana em restaurantes carésimos... De repente, dá para continuar sendo feliz sem mimar-se tanto.

3. A pagadora de promessas
Seu look financeiro: você consegue quitar suas dívidas, mas no fim do mês não fica com 1 real a mais para se divertir.
Sua conta repaginada: o ralo do seu orçamento pode atender pelos seguintes nomes: limite alto do cartão e do cheque especial, sapatos e bolsas que você nem usa, mas compra... "As operadoras dos cartões aumentam o limite de compras sem respeitar a renda do cliente ou o histórico de pagamento. Pode chegar um momento em que você tem mais a pagar do que ganha", diz Dora. Para dar conta, divide em parcelas, aumentando suas dívidas. Se o seu salário está 100% comprometido, sua vida financeira ainda não é saudável. Limite o valor dos gastos fixos a 20% do que ganha. Se recebe 3 mil reais, poderia comprometer 600. Um truque que pode ser até divertido é planejar quanto pode gastar no fim de semana e inventar um plano B caso a quantia acabe antes de chegar ao domingo à noite. Por exemplo: seu limite é 150 reais e você usou 80 no jantar com o namorado na sexta e 60 no aniversário da amiga no sábado. Domingo é dia de ver um bom filme na TV e preparar algo fácil para o jantar - uma massa, por exemplo.

4. A que balança, mas vai
Seu look financeiro: você consegue fazer um gasto extra aqui, outro ali, sem se endividar.
Sua conta repaginada: se pode comprar artigos de grife e viajar nos fins de semana sem passar apertos, significa que tem recursos para isso. Então, talvez seja preciso mais compromisso com o futuro. Não dá para esperar se sobra algo no fim do mês, porque o final é consequência da atuação de todos os dias - é preciso poupar logo no começo. E para isso deve-se pensar em porcentagens. Se acha que separar 10% do salário para poupar ou investir é muito, comece com 3% nos três primeiros meses e vá aumentando gradativamente. Mesmo quem ganha 1 500 reais pode guardar 10 reais. O exercício mais importante: criar disciplina. E o hábito de poupar começa com esses pequenos movimentos.


Conteúdo do site NOVA