Páginas

Receba mais dicas valiosas para você e seu negócio

Corretores de Imóveis Autônomos

Corretores autônomos, Nome é a marca.
 
Profissionais buscam clientes em circulo familiar, amigos e também por empreendimentos com placas nas ruas. No Ceará, corretores autônomos contam com a Rede de Corretores de Imóveis Autônomos (RCIA), que representa a categoria

Corretora de Imoveis Marcia Vieira - Rede de Corretores de Imóveis do Ceará RCIA

Buscar clientes por meio de diversos tipos de anúncios, círculos de amizades e família ou até mesmo nas redes sociais é tarefa diária dos corretores autônomos como Márcia Maria Vieira de Sá, presidente da Rede de Corretores de Imóveis Autônomos do Ceará (RCIA), entidade que representa esses profissionais, com 85 associados.

No caso de Márcia, a Imobiliára Dr. Ibiapina, uma das mais antigas do mercado cearense, segundo cita, foi o ponto de partida. “Na época eles lidavam apenas com locação de imóveis. Logo me identifiquei com a profissão. Atender e se relacionar com pessoas me agradava muito. Então em 1990, resolvi fazer o Curso Técnico em Transações Imobiliárias. Minha irmã, que também atuava na área, montou o próprio escritório de advocacia e lá passei a atuar como profissional liberal”, conta.

Na sequência, fez Gestão de Negócios na Faculdade Grande Fortaleza (FGF), participou de seminários e hoje é também pós-graduanda em Direito Imobiliário. “Não me vejo como corretora condicionada às regras (plantões, metas, horários) de uma imobiliária, que, a meu ver, nada mais é que mais uma parceira do corretor de imóveis, com mais atribuições”, conclui.

Com a corretora autônoma, Lídia Lopes, a paixão pela profissão foi meio ao acaso, em 1992. Insatisfeita com os empregos anteriores que “sempre pagavam pouco”, foi pelas páginas do jornal que ela logo observou duas oportunidades: o curso de Transações Imobiliárias no Centro de Treinamento e Desenvolvimento (Cetrede-UFC) e uma oferta para trabalhar de corretora na Imobiliária Luciano Cavalcante.

Quando buscou o emprego, veio a exigência do curso e ela imediatamente se matriculou. Antes mesmo de concluir, já foi trabalhando em imobiliárias, até que resolveu trabalhar por conta própria. “Neste tempo nem telefone eu tinha em casa, fazia vendas nos telefones públicos com fichas. Mas cheguei a fechar bons negócios ligando dos orelhões. Daí fui galgando meu espaço, trabalhando com documentos e aprendendo com os erros”, conta.

De acordo com ela, a profissão do corretor de imóveis requer confiança do cliente, pelo fato também dele querer orientações sobre documentação imobiliária. Ela diz que a autonomia permite um atendimento melhor ao cliente e parcerias com qualquer corretor.

Faturamento
Placas, anúncios e o “boca a boca” definem o faturamento mensal de cada um. No entanto, um corretor de imóveis pode ter até 200 clientes, mas só alguns ligam e acaba que quatro ou cinco realmente fecham negócio, afirma Lídia. Em média, o faturamento de um corretor autônomo chega a ser de até R$ 20 mil, mas “o certo mesmo é de R$ 10 mil a R$ 15 mil”, conclui.

O nome próprio já é a marca. A empresa é a pessoa. Como corretora autônoma de imóveis, Lucia Mota, divulga os empreendimentos e lançamentos por meio de anúncios em jornal, além de publicação em site. Há 19 anos no mercado, ela preza pela liberdade em não trabalhar com corretores fixos e “sim com todos os parceiros do mercado imobiliário”.

Após fazer curso de Transações Imobiliárias no Cetrede, Gestão de Vendas, trabalhar em estandes de venda na construtora P&G, na imobiliária Luciano Cavalcante e na equipe de vendas da construtora Marquise, ela resolveu montar um escritório e trabalhar sem vínculo empregatício.

ENTENDA A NOTÍCIA
Para conseguir bom faturamento em um mês, corretores autônomos contam com indicação de clientes, primeiramente, familiares e amigos para garantir o salário. Sites e anúncios em jornais seguem como ferramentas.

Serviço


Rede de Corretores Autonomos do Ceara - RCIA
Rede de Corretores Autonomos do Ceara - RCIA



Rede de Corretores de Imóveis Autônomos Ceará (RCIA)
E-mail: rcia@gmail.com

Creci CearáConselho Regional de Corretores de Imóveis do Ceará (Creci 15ª Região/CE)
Endereço: Rua Pe Luís Figueira, 324 – Aldeota
Site: http://www.creci-ce.gov.br
Telefone: (85) 3231.6744

Dicas
Seis passos para adquirir seu imóvel com um profissional de confiança:
1. Ao contratar corretores, verificar o número de registro e carteira do Creci-CE.
2. Caso haja algum problema com o corretor, denunciar no espaço da ouvidoria do Creci-CE. Site: http://www.creci-ce.gov.br.
3. Antes de fechar negócio, buscar referências de amigos, sites e redes sociais de relacionamento.
4. Conferir dados do corretor autônomo no Creci-CE.
5. Busque orientação de um advogado no processo da compra ou venda.
6. É possível verificar a tabela de comissão praticada pelos corretores do Sindicato dos Corretores de Imóveis do Estado do Ceará (Sindimoveis) http://www.sindimoveisce.com.br/thonorarios.html

Garantido por lei
O exercício da profissão do corretor de imóveis é regido pela Lei Federal 6530/78.A categoria foi contemplada com dispositivos no Código Civil de 2002, do Artigos 722 ao 729.

Remuneração
O Código Civil especifica no Art. 725 que a remuneração é devida ao corretor uma vez que tenha conseguido o resultado previsto no contrato de mediação, ou ainda que este não se efetive em virtude de arrependimento das partes.
Fonte: Rede de Corretores de Imóveis Autônomos Ceará (RCIA)
Publicado: Jornal Opovo.


 

Paisagismo de chácaras



Deixe a chácara mais bonita e receptiva, apostando no projeto paisagístico ideal para o jardim externo.

via
 A chácara é uma propriedade perfeita para reunir a família e os amigos. Ela oferece uma deliciosa atmosfera rural, que ajuda a descansar e também se revela favorável para o entretenimento. Dependendo do terreno, a chácara também pode se tornar um lugar perfeito para montar jardins externos.

via
O projeto paisagístico para a chácara valoriza o espaço, fazendo com que os arredores da casa se tornem mais bonitos e receptivos. Para que a área fique moderna e encantadora, é importante saber escolher as flores, árvores e folhagens que serão cultivadas. Outros elementos associados ao paisagismo precisam ser escolhidos com muito cuidado para que o equilíbrio e a harmonia sejam preservados.


Para escolher as plantas mais adequadas para o jardim externo, é importante realizar um estudo da área e conhecer, sobretudo, a qualidade do solo. O cultivo de uma determinada espécie também vai depender da luminosidade e do clima da região. Ao elaborar o projeto, é essencial selecionar as plantas que possuem necessidades semelhantes, pois assim elas se desenvolvem de forma mais saudável.

via
Embora selecionar as plantas para os canteiros e cercas vivas seja algo essencial, outros fatores também precisam ser levados em conta pelo projeto paisagístico. Para deixar o local mais sofisticado, é interessante adotar elementos como cascatas artificiais, fontes de água, caminhos de pedras e até laguinhos artificiais para completar a paisagem.


Na hora de montar os jardins externos, também é importante cultivar um gramado bonito e que se adapte as necessidades do ambiente. As árvores, com ou sem frutas e flores, são essenciais para deixar a chácara mais charmosa e agradável, além do que, elas ajudam a criar deliciosas sombras para relaxar na propriedade.


 Para tornar o jardim da chácara mais confortável e receptivo, vale a pena incluir alguns móveis, como é o caso dos bancos. Ao escolher as peças que visam à acomodação, procure optar por um material mais resistente, capaz de suportar sol e chuva.


 Caso a intenção seja proporcionar passeios pelo jardim durante a noite, tenha o cuidado de optar por uma boa iluminação.

via
 Um grande e belo jardim externo costuma dar muito trabalho, pois necessita de regas e podas regulares. Caso os proprietários da chácara não tenham tempo para se dedicar a manutenção, eles podem contratar os serviços de uma empresa especializada para cuidar do jardim, como é o caso da Equilíbrio Ambiental.

via
A chácara decorada com belos jardins externos permite que os moradores e visitantes contemplem paisagens maravilhosas. O fato do imóvel dispor de um paisagismo bem cuidado e planejado favorece o preço do aluguel, caso a intenção seja alugar a chácara para temporadas.


Créditos e Fontes:







Tecnologia muda rotinas na construção de imóveis

Esqueça as antigas pás de pedreiro. Hoje, as obras contam com equipamentos que aumentam a produtividade, como lixadeiras elétricas, pernas mecânicas que ajudam na pintura de tetos e pistolas de tinta que substituem os pincéis e rolos. Algumas inovações são criadas de acordo com a necessidade dos canteiros e há avanços na construção de moradias pré-fabricadas. Um parque tecnológico voltado para pesquisas de novos produtos para o setor, com investimentos de R$ 25 milhões, deve ser construído neste ano, no Distrito Federal.
O mercado já oferece sondas automatizadas para a investigação de terrenos, máquinas de múltiplas aplicações, com funções de empilhadeira, pá carregadeira e guincho; além de britadores de resíduos e guindastes com maior capacidade”, diz Wilson Shoji Iyomasa, professor do curso de engenharia civil da Universidade Anhembi Morumbi. A aceleração de obras relacionadas com a Copa e com residências de interesse social, além de novas redes de infraestrutura, linhas metroviárias e rodovias, deve movimentar a indústria de equipamentos para a construção civil, durante 2012, avalia. A maior parte dos produtos que usa tecnologia de ponta é importada.


Pernas mecânicas, feitas de alumínio, substituem os andaimes para serviços de pinturas de forros.

Uma das novidades nos canteiros são pernas mecânicas, feitas de alumínio, que substituem os andaimes para serviços de revestimentos e pinturas de forros. Alguns modelos, que lembram pernas de pau mais modernas, alcançam até três metros de altura. Um sistema de molas ajuda a amortecer os movimentos do trabalhador no solo. 
O mercado brasileiro vai experimentar avanços em tecnologias embarcadas, no uso de novos materiais para aumentar a capacidade de construção e em equipamentos para reciclagem de materiais, por conta de questões de sustentabilidade”, diz Iyomasa.

Sediada em Camboriú (SC), a Via Trade se especializou na importação de máquinas, ferramentas e equipamentos para o setor. Mais de 85% dos clientes são pequenas e médias construtoras. O negócio começou em 2005, com três funcionários e hoje emprega 80 colaboradores, com um faturamento de mais de R$ 6 milhões. “Vendemos mais de 30 tipos de produtos”, explica a diretora Roberta Quentel de Mello. Os equipamentos mais procurados são cortadoras de paredes que chegam a cortar um metro de tijolo em menos de 20 segundos, minigruas para a elevação de cargas de até 500 quilos e escoras metálicas que substituem a madeira.

Em 2012, a empresa pretende adicionar pelo menos cinco novas linhas no catálogo, como máquinas de elevação de carga e de equipes de trabalho. Até dezembro, vai investir R$ 1 milhão em estrutura operacional, melhorias no setor de logística, pesquisa de novas tecnologias e na participação de feiras de equipamentos. “Esse valor representa mais do que o dobro do montante aplicado em 2011″, diz Roberta.

Na SH, empresa fluminense que vende e aluga formas, andaimes e escoramentos, as principais novidades em 2012 são formas de alumínio para paredes de concreto e mesas deslizantes para escoramento de lajes. No ano passado, para incrementar as vendas, investiu na segmentação de entregas por tipo de cliente e ramo de construção. “Criamos um site para compartilhar ideias entre clientes, fornecedores e universidades da área da construção”, conta o diretor de negócios Marcelo Milech.

A SH também ficou conhecida no mercado por criar o Lumiform, uma forma para concretagem rápida de casas e apartamentos, em ciclos de dois dias de construção. De acordo com a empresa, as formas substituem os blocos de alvenaria e eliminam as etapas de chapisco e reboco, cortando custos e prazos, com até 85% de ganho de produtividade. “A residência fica liberada para acabamento já com as tubulações e a montagem funciona como um ‘lego’, encaixando as partes de acordo com o projeto.

A tendência no setor é a maior industrialização dos processos produtivos na construção civil, com novas tecnologias ligadas à preservação do ambiente”, diz Paulo Simão, presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC). A entidade mantém um programa de inovação tecnológica (PIT) para estudar e definir diretrizes para o desenvolvimento e difusão de novas invenções.

Na área de casas pré-fabricadas, a paranaense Terra Brasil também desenvolveu um conjunto de vigas e painéis de concreto armado para paredes, voltado para moradias de portes variados. O sistema promete reduzir a necessidade de mão de obra e não usa formas de madeira.
O segmento de construção em moldes industriais ainda é pouco explorado e precisa desenhar melhor custos e processos para ganhar mercado”, avalia Sérgio Guimarães Pereira Jr., diretor da Vallor Urbano, empresa especializada em urbanização.





Plantas Grátis De Chácaras

As famílias que buscam um lugar harmonioso para passar os finais de semana, feriados e férias podem optar pela construção de chácaras. Esse tipo de propriedade é comum nas cidades interioranas e pode ser classificado como um pequeno rancho situado num complexo ou isoladamente.


 A chácara é uma propriedade rural menor que o sítio, granja ou estância, mas oferece às pessoas a típica tranqüilidade do campo e o contanto com a natureza. Quem vive nas grandes cidades costuma ter uma chácara ou outro gênero de moradia rural no interior como refúgio para descansar e fugir da correria urbana.


 O terreno que corresponde à chácara é pequeno, por isso deve-se fazer um planejamento cauteloso antes de dar início a uma construção. As plantas grátis de chácaras podem ser úteis para ter novas idéias de projetos e fazer um bom aproveitamento do espaço.


 Diferente das casas grandes na fazenda, a casa da chácara precisa ser menor e mais aconchegante. A residência pode ser construída com blocos de concreto ou madeira maciça, a escolha fica por conta dos moradores. É importante que a estrutura do imóvel seja resistente e que a arquitetura relembre traços das típicas casas de campo (fachada rústica e simples).


 As idéias de plantas de chácaras são variadas, procurando dividir o espaço do terreno de diferentes formas e explorar um estilo de decoração. Uma casa na chácara tem de 2 a 3 quartos, uma cozinha, sala de estar, um banheiro e área de serviço. Os cômodos podem estar distribuídos num único pavimento ou em dois, isso dependerá de cada planta.


 A casa na chácara pode ser construída no fundo do terreno, deixando espaço a frente para jardins, pomares e hortas. Nesse pequeno pedaço de terra também é comum encontrar uma área exclusiva para a criação de pequenos animais rurais, como porcos e galinhas. É importante que os projetos de chácaras grátis valorizem o contato com a natureza e saibam explorar o que há de mais bonito no campo. 



Caso você ainda não saiba como construir chácaras, procure ajuda de um arquiteto ou confira as plantas prontas disponíveis na internet. Há também softwares que dispõem de excelentes ferramentas em imagem 3D para construir projetos, eles podem ser bem úteis na construção.

 




 via


Veja mais plantas em:   Plantas de Casas