Páginas

Receba mais dicas valiosas para você e seu negócio

Índice de Furto

Novo índice

São Paulo – O Cesvi Brasil (Centro de Experimentação e Segurança Viária) lançou, nesta quinta-feira, a primeira edição do seu Índice de Furto, que avaliou as 118 versões de 20 modelos – os mais vendidos do Brasil e modelos das chinesas JAC e Chery. Os carros foram avaliados segundo sua vulnerabilidade a furtos, que são os crimes sem ameaça física, em que o ladrão leva o carro na ausência do motorista.

O Cesvi avaliou se os modelos segundo seis itens de segurança: se tinham ou não alarme de série; se tinham ou não trava de volante de série; se tinham ou não vidro lateral laminado de série (no Brasil, esse item é vendido apenas como opcional, o que fez com que nenhum modelo recebesse 5 estrelas); se tinham ou não imobilizador e de que tipo; o tipo de chave utilizada; e a localização da bateria (quanto mais difícil acessá-la, mais difícil levar o carro).

Os dados do Cesvi costumam ser usados por seguradoras, que poderão reduzir, futuramente, o preço do seguro dos carros menos vulneráveis a furtos. Clique nas fotos para ver os carros que receberam as melhores e as piores notas nos testes do Cesvi, e clique aqui para ver a lista completa das 118 versões testadas e suas respectivas notas.
 

Os mais seguros: 
 
Chevrolet Cruze: 4,5 estrelas 
 

Versão: LTZ 1.8 16V ECOTEC FLEX 4P

Item de segurança
Alarme de série: Sim
Trava de volante de série: Sim
Imobilizador: Criptografado
Chave: Presencial
Acesso à bateria: Difícil
Vidros laterais laminados de série: Não
O modelo é dotado com o imobilizador e a chave dos tipos mais seguros.

Obs.: O Cruze versão LT 1.8 16V ECOTEC FLEX 4P recebeu apenas 3 estrelas, pois sua chave é de segredo interno, segundo tipo mais inseguro.


Ford Ka:
3,5 estrelas
Versão: SPORT 1.6 FLEX MECÂNICO 8V 3P

Item de segurança
Alarme de série: Sim
Trava de volante de série: Sim
Imobilizador: Criptografado
Chave: Segredo externo circular
Acesso à bateria: Difícil
Vidros laterais laminados de série: Não
A chave de segredo externo circular é apenas o terceiro tipo mais seguro de chave. O imobilizador criptografado é o tipo mais seguro.
 
Honda Civic: 3 estrelas
 
Versões:
LXS 1.8 16V SOHC i-VTEC Flex 4P
LXL 1.8 16V SOHC i-VTEC Flex 4P
EXS 1.8 16V SOHC i-VTEC Flex 4P

Item de segurança
Alarme de série: Sim
Trava de volante de série: Sim
Imobilizador: Criptografado
Chave: Segredo interno
Acesso à bateria: Difícil
Vidros laterais laminados de série: Não
A chave de segredo interno é o segundo tipo menos inseguro. O imobilizador criptografado é o tipo mais seguro.
 

Chevrolet Cobalt: 3 estrelas
Versões:
LT 1.4 ECONO.FLEX MECÂNICO 8V 4P
LTZ 1.4 ECONO.FLEX MECÂNICO 8V 4P

Item de segurança: Descrição
Alarme de série: Sim
Trava de volante de série: Sim
Imobilizador: Criptografado
Chave: Segredo interno
Acesso à bateria: Difícil
Vidros laterais laminados de série: Não
A chave de segredo interno é a segunda menos segura. O imobilizador criptografado é o tipo mais seguro.

 Honda Fit: 3 estrelas
 Versões:
DX 1.4 16V SOHC i-VTEC Flex 4P
LX 1.4 16V SOHC i-VTEC Flex 4P
EX 1.5 16V SOHC i-VTEC Flex 4P
EXL 1.5 16V SOHC i-VTEC Flex 4P

Item de segurança
Alarme de série: Sim
Trava de volante de série: Sim
Imobilizador: Criptografado
Chave: Segredo interno
Acesso à bateria: Difícil
Vidros laterais laminados de série: Não
A chave de segredo interno é a segunda menos segura. O imobilizador criptografado é o tipo mais seguro.

 


via  Info




 
 
 

6 Dicas para um churrasco de sucesso

Quer preparar um churrasco caprichado no final de semana?
Inspire-se nessas dicas do site Chocorango :
 
via
 
1. Se pretende fazer um churrasco pra agradar a todos, aposte na picanha, alcatra, contra-filé e costela. Opções mais baratas como maminha e fraldinha também fazem sucesso. Coxinha da asa e sobrecoxa de frango são sugestões comuns, mas não menos saborosas. Também não pode faltar uma boa linguiça fresca.
 
2. No tempero, menos é mais. Aposte no sal no grosso e tenha uma carne com gosto de... carne! A dica vale para o frango também.
 
3. Que tal servir tomate, pimentão, cebola, berinjela, abobrinha, batatas doce e baroa grelhados ou assados na brasa?! São acompanhamentos leves e deliciosos.
 
4. Como aperitivo, nada faz mais sucesso do que o pãozinho de alho e o queijo coalho ou Mozzarella grelhado. Pra quem não viu, a Tati do Panelaterapia ensinou um pão de alho muito bom!
 
5. Para acompanhamento vá com o tradicional arroz branco ou temperado, maionese, farofa e salada. Se quiser dar uma variada, salpicão também é muito bem aceito.
 
6. Para a sobremesa, banana e abacaxi na brasa são opções fáceis e que combinam muito bem com o evento. Experimente servir acompanhados de calda de chocolate e/ou sorvete.
 
E NÃO SE ESQUEÇA: de nada adianta investir em cortes caros de carnes bovinas, se o boi não for bom. Já falei sobre o assunto NESTE POST e insisto, carne com sabor forte, nem tempero incrementado resolve.
 
 
Mas não basta caprichar na comida se a aparência dos utensílios utilizados na preparação estiverem feinhos e velhos. Vamos renovar?
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Módulos pré-fabricados

Módulos pré-fabricados são aposta de escritório sueco para reformas.

 O escritório sueco Visiondivision desenvolveu uma forma inusitada de realizar reformas e modificações em propriedades. A solução apresentada pelos arquitetos para quem deseja expandir a metragem da casa é simples e econômica: módulos pré-fabricados de madeira que podem ser moldados de várias maneiras diferentes. 


 Cada unidade, de 15 metros quadrados, custa 2.000 euros e algunss dos módulos incluem escadas, janelas panorâmicas e terraços. Outro diferencial: o módulo pode ser transportado com facilidade para regiões afastadas e de difícil acesso. 


  A firma ainda sugere que as estruturas sejam agrupadas para formarem pequenas vilas, comerciais ou residenciais, mas com entradas independentes para preservar a privacidade dos moradores. 


"Esta proposta tenta capturar a essência de uma vila. Queremos utilizar um campo da indústria de construção ainda não aproveitado, dos galpões e dos chalés", explica em seu site. 


 Fonte:  Folha de S. Paulo




Aplicativos

Empresas do setor imobiliário investem em aplicativos para consolidar a marca.


 O número de pessoas que acessa a internet no Brasil ultrapassou os 80 milhões no primeiro trimestre deste ano, de acordo com o Ibope. Aproveitando esse resultado mais o uso frequente de plataformas móveis, como smartphones e tablets, para acessar a rede, que chega em 30,3%, muitas empresas aproveitam para investir em aplicativos para se aproximar do público e consolidar a marca. 


A Tecnisa, por exemplo, criou um dispositivo para ajudar na vistoria do imóvel. “Ele agiliza o tempo de vistoria e aumenta a transparência com o cliente”, afirma o especialista de E-Business da Tecnisa, Marcelo Trevisani. 

Na área de decoração também são oferecidas essas ferramentas, como a da empresa americana Insteon, que funciona como um controle para o acendimento de lâmpadas, e a da fabricante de tintas Suvinil, que dá dicas para pintar o ambiente. Ambas estão disponíveis na loja virtual da Apple (iPhone e iPad). “Mais importante do que oferecer um aplicativo, é estar disponível nestes meios. É válido investir. O mercado está em expansão e as empresas devem se adaptar a isso”, afirma o diretor de Marketing da SIM, Bruno Lessa.

 O ZAP Imóveis não ficou de fora deste mercado e oferece aos clientes uma ferramenta gratuita para iPhone e iPad que dispõe de geolocalizador, que lista ofertas na região escolhida, salva os favoritos e mostra contatos dos imóveis. O aplicativo, que já esteve entre os três mais baixados da categoria “Estilo de vida” da Apple, permite acesso às redes sociais para compartilhar informações sobre as buscas realizadas. Também é possível trocar e-mails com os proprietários e as imobiliárias e obter dados do imóvel desejado. Para o diretor-geral do ZAP, Eduardo Gama Schaeffer, “o aplicativo vai proporcionar mais comodidade ao usuário e maior geração de valor aos anunciantes do portal”.



 Fonte:  Zap Imóveis



Casa quebra-cabeça

Nos EUA, casa "em reforma permanente" reúne objetos de luxo e coisas resgatadas do lixo. Casa quebra-cabeça passa de 280 para mais de 1 mil m² para acomodar relíquias arquitetônicas.


 Sobre a mesa de jantar, um lustre de cristais que estava completamente coberto pela poeira quando o colecionador John Archer o adquiriu:


 A porta de folha dupla do antigo Danvers State Hospital, em Danvers, Massachusetts, foi recuperada logo após a luta pela preservação e restauro do prédio ter sido perdida. John Archer incorporou a peça à estrutura de sua casa:

 

 A pintura de Thierry Poncelet retrata um gato - vestido a rigor - que se assemelha ao felino (bem vivo!) Otto, um dos bichos que vivem na casa do colecionador John Archer:
 

 Família “quatrocentona”
 
Na verdade, a família de Archer está nessa parte de Massachusetts desde o século 17. O pai dele era dono de uma companhia de seguros e, embora Archer tenha se formado em Literatura, quando tinha 30 anos e seu pai faleceu, fez o esperado e assumiu os negócios familiares. “Eu não exatamente sonhava com os negócios no mundo dos seguros, mas eu sabia que era preciso ir trabalhar”, conta.
 
Não obstante, ele amava e colecionava antiguidades desde criança e, por um curto período de tempo, trabalhou como corretor imobiliário. Então quando esta casa, que fora construída no final do século 19, foi colocada à venda, Archer comprou com um amigo, de quem ele comprou a parte depois.
 
Quatro linhas de janelas resgatadas de uma mansão de Gloucester em reformas, agora fazem uma das paredes da sala de jantar da casa em constante mutação do colecionador John Archer, em Danvers, Massachusetts.
 
Archer queria a casa, em parte, porque precisava de espaço para o seu piano - que afirma ter pertencido a Harold Bauer, um pianista que fez turnê pela Rússia, utilizando-se do instrumento, no século 19. (O colecionador mostrar uma fotografia como prova, embora fosse necessário ser um pianista forense para confirmar a afirmação).
 
Pelo fato de a casa não ter nenhum traço arquitetônico digno de nota, ele não sentiu remorso em construir anexos aonde bem entendesse. E em dois acres, havia espaço o bastante para expandir. Alguns dos tesouros adquiridos - como a parede de vidro colorido que separa seu quarto do banheiro - vieram de comerciantes de relíquias de arquitetura, outros de grandes mansões demolidas.
 
 E tudo tem uma história – como as janelas de vidro da sala de jantar, que ele encontrou há 20 anos: “meu arquiteto me ligou de uma mansão em Gloucester e disse que eles iriam reformar a casa, e a dona dizia: ‘tira isso, não quero mais’”, conta Archer sentado em sua sala de jantar, onde o sol dava um espetáculo através das vidraças tão impressionante, que a ideia de tê-las destruídas parece mesmo um crime.
 
“Eu as guardei durante três anos na minha garagem. O projeto de Gloucester acabou e, depois que as janelas foram instaladas em minha casa, recebi uma ligação da nova proprietária da casa dizendo: ‘ouvi dizer que você está com as minhas janelas e eu gostaria de tê-las de volta’. Eu disse que não, que aquelas janelas eram minhas, eu tive que pagar algo como US$ 1.5 mil por elas. Algumas horas depois ela ligou de novo e pediu desculpas, e disse: ‘na verdade eu sou muito legal’”, relembra o colecionador.

Há também várias ótimas cadeiras no sótão ou no estábulo ou na garagem. Ele pode vê-las em uma varanda ensolarada, repintadas. Sem espaço para o acréscimo de uma nova ala? Claro que sim. Ele pode expandir para trás da biblioteca. “Eu acho que as coisas nunca estão finalizadas”, diz. “Que coisa chata".



Fonte: UOL Mulher  









Banda larga: ataque invadiu mais de 4 milhões de modems no Brasil


 De acordo com especialista, crackers usaram falha que atinge modelos mais vendidos no País e alteraram configurações para levar internautas a sites falso.

 Milhões de internautas brasileiros foram vítimas de um ataque que invadiu e alterou as configurações de modems DSL (banda larga), fazendo com que as visitas ao Google ou Facebook, por exemplo, fossem redirecionadas para sites falsos. Essas páginas, por sua vez, infectavam o micro com malware capaz de roubar dados bancários. 

O ataque infectou mais de 4,5 milhões de modems DSL, disse o analista de malware da Kaspersky Lab no Brasil, Fabio Assolini, em post no blog da empresa. A vulnerabilidade explorada pelos crackers permitia o uso de um código (script) simples para roubar senhas e acessar remotamente a configuração dos modems. 

A alteração fazia com que, ao digitar um site, como www.meubanco.com.br, o internauta fosse parar em um site clonado, que injetava um código malicioso no sistema. "Esse golpe, em ação desde 2011, explora uma vulnerabilidade de firmware, dois scripts maliciosos e 40 servidores DNS maliciosos. Ele afeta seis fabricantes de hardware, resultando em milhões de internautas brasileiros vítimas de um ataque em massa contínuo e silencioso", diz Assolini. 

Tempestade perfeita 
O expert disse que o ataque em massa foi o resultado de uma "tempestade perfeita", provocada pela omissão de uma variedade de elementos-chave, incluindo provedores, fabricantes de modem, e da Anatel, agência que aprova os dispositivos de rede, mas não testou a segurança de qualquer um dos modems (no entanto, não é atribuição da agência fazer essa verificação). Ainda não está claro quais fabricantes e modelos de modem são suscetíveis aos ataques. Assolini explica que a vulnerabilidade, divulgada no início de 2011, parece ser causada por um driver de chipset em modems que usam hardware Broadcom. O expert não sabe exatamente quando, mas crackers começaram a explorar a falha com sucesso contra milhões de modems brasileiros. 


 Além de apontar os dispositivos para servidores maliciosos DNS, eles também mudaram as senhas de dispositivo para tornar mais difícil para as vítimas consertarem a alteração. fb_dsl Site-clone do Facebook pede a instalação de plugin malicioso Os ataques foram registrados em modems de seis fabricantes, dos quais cinco são populares no Brasil. "A negligência dos fabricantes e dos provedores e a ignorância dos órgãos oficiais do governo criaram uma" tempestade perfeita, permitindo aos cibercriminosos atacar à vontade", escreveu o especialista. 

 Somente um dos 40 servidores DNS usados ​​no ataque - a maioria fora do País - revelou que mais de 14 mil vítimas o acessaram. Assolini exibiu uma conversa online em que um dos crackers disse ter ganhado "mais de 100 mil reais" e que iria usar o dinheiro em viagens para o Rio de Janeiro na companhia de prostitutas. Proteção Como o golpe atinge os modems, não há muito o que o usuário comum possa fazer para evitá-lo. 

Uma dica é atualizar o firmware do dispositivo - para isso, veja as instruções no manual. Se você desconfiar que está visitando um site clonado - por exemplo, o Facebook ou o Google pede para instalar um plugin - veja como resetar o modem para as configurações de fábrica.





 

Tá muito quente aí?

Veja algumas dicas de como diminuir a sensação de calor dentro de casa:

 


Em um país tropical com longos períodos de calor intenso, ficar dentro de casa pode se tornar um martírio. Mas algumas medidas simples são essenciais para evitar transtornos durante as estações quentes.
A construção civil se aprimora cada vez mais no sentido de aliar conforto e responsabilidade ambiental. A curto prazo, o setor se intensifica em criar mecanismos que amenizem a sensação de calor dentro de casas e apartamentos.


Criando um ambiente fresco

Com um pouco de criatividade, é possível unir o conforto sem perder a elegância da decoração. Os ventiladores de teto são uma boa pedida. Além de tornarem a brisa do ar mais agradável, podem adornar o ambiente. Basta requinte e bom gosto.


O mesmo pode ser feito com o ar-condicionado, o maior aliado nos tempos de calor. É possível aperfeiçoar a função do aparelho, adaptá-lo à decoração e evitar aumentos na conta da energia.

Basta seguir os seguintes passos:

•    instale o aparelho em lugar sombrio. O contato direto com o sol diminui sua eficiência;
•    para manobrar os raios solares, uma boa saída é colocar plantas grandes para fazer sombra, tanto do lado de fora como dentro. A sombra garante economia de 10% de eletricidade;
•    manter os filtros limpos também contribui para o bom desempenho do ar-condicionado e poupa até 15% de energia elétrica.

Sabe aqueles tapetes espalhados pelo chão? Eles absorvem calor e colaboram para esquentar o ambiente. Então, o melhor é diminuir a quantidade.
Cuidar do ambiente externo também é uma saída para os dias de calor. Investir em um quintal arborizado ou em plantas na sacada ajuda a umidificar o ambiente, principalmente quando as plantas são regadas.

 

As soluções da engenharia do futuro

Algumas técnicas voltaram com toda força para modificar padrões de construção que não prezam por garantir um clima agradável dentro de casa. É caso do pé-direito, distância entre o chão e o teto. O pé-direito alto facilita a movimentação do ar, o que retira o excesso de calor do apartamento ou casa.
O brise-soleil, muito utilizado em edificações antigas, é outra tendência que deve voltar com tudo. A eficiência térmica das lâminas são maiores do que a de toldos, por exemplo, já que elas bloqueiam os raios de sol antes que eles incidam no concreto. No caso dos toldos, o efeito é exatamente o contrário.


Os prédios autossustentáveis também investirão em tecnologia que revertam o calor em energia. É o caso das placas fotovoltaicas. Além de ecologicamente corretos, os equipamentos, já implantados em muitos projetos, auxiliam na redução da temperatura interna ao absorver a radiação solar.
A posição das janelas também é fundamental para estabelecer um clima ameno dentro de casa. Para isso, os projetos têm valorizado cada vez mais a disposição em lados opostos, o que proporciona a chamada ventilação cruzada.

Invista em cores claras

O One Degree Less (Um Grau a Menos), estudo realizado pela Green Building Council Brasil, revela que é possível diminuir a temperatura do interior das construções e, assim, reduzir o aquecimento em 1º C. Para isso, uma medida simples e cada vez mais adotada por engenheiros e arquitetos: a pintura clara, tanto nas paredes como no telhado.


Segundo a pesquisa, a pintura de telhados e lajes superiores com cores claras reduz a temperatura no interior das edificações em cerca de 6°C, já que o branco reflete até 90% dos raios solares, enquanto a telha cerâmica comum absorve essa mesma porcentagem de calor.
O mundo está mais quente. A cada ano, as temperaturas se elevam e discutir caminhos para uma vida mais sustentável não é mais modismo, é necessidade! Já que não é possível mudar tudo de uma vez, pelo menos algumas poucas ações podem contribuir para enfrentarmos o problema em um clima mais afável.