Páginas

Receba mais dicas valiosas para você e seu negócio

Economizando nas contas da casa

Sete dicas (fáceis) para economizar nas contas da casa.
Economistas dão provas de que é possível.


1 Conheça sua renda e suas despesas fixas 
 Aqui é preto no branco, segundo o consultor financeiro da Homero Reis Consultoria, Alexandre Martins. “É preciso relacionar o ganho mensal com os gastos fixos. Se as despesas forem maiores, só restam duas opções: aumentar a renda ou economizar. Como a primeira nem sempre é possível, o jeito é aprender a gastar menos mesmo”, explica ele. 

 2 Planeje as compras
 Ir para o mercado com as crianças pode ser uma "furada", de acordo com a psicóloga Andreza Tobias, autora do livro “Educação financeira da família” (Editora Roca). Isso porque elas costumam influenciar as compras por impulso, já que se interessam pela novidade. O ideal é deixar os pequenos em casa ou, se não tiver jeito, já combinar com eles que as despesas daquele dia já estão planejadas. “Fazer uma lista de compras é fundamental”, ensina a psicóloga.

 3 Ensine as crianças a economizar
  Outra dica é, desde cedo, conversar com as crianças sobre o papel do dinheiro na vida da família. A especialista Andreza Tobias diz que a partir dos sete anos elas já conseguem fazer uma avaliação dos gastos. Explicar que desligar a luz, a televisão e o videogame quando sai do quarto é fundamental nesta faixa etária. “A criança precisa entender que cada uma dessas coisas tem um custo”, avisa a psicóloga.

 4 Não abuse do crédito
Sabe aquele valor do cheque especial que aparece na sua conta? Ele não te pertence mais! O consultor financeiro Alexandre Rodrigues ensina que é preciso aprender a viver com o que se ganha e não abusar das vantagens do crédito. “Cheque especial só em emergência e as faturas do cartão devem ser pagas integralmente e em dia. Os juros podem variar de 5% a 12% ao mês, um custo muito alto para o bolso”, diz ele. 

5 Pesquise preços
Com a internet aí facilitando as pesquisas, acabou a desculpa para justificar a compra daquela geladeira nova ou de qualquer outro bem durável mais caro na primeira loja que aparece. “Buscar o melhor preço é muito importante porque os valores do mesmo produto podem variar muito de um ponto de venda para o outro”, avisa o consultor financeiro e economista Alexandre Martins. A dica vale também para as compras de supermercado. 


6 Otimize planos e serviços
 TV por assinatura, celular para cada membro da família, telefone fixo e internet. São tantos os serviços pagos que fica até difícil acompanhar. Mas para o consultor Alexandre Martins, a solução da economia está justamente no olhar atento sobre esses valores. “Dependendo da família, um plano integrado pode valer mais a pena. No entanto se, por exemplo, o telefone fixo é pouco usado, existe a necessidade de inclui-lo ou tê-lo em casa?”, avalia o especialista. 

 7 Pague as contas em dia
 Fugir dos juros é meio caminho andado para quem busca mais economia para o bolso. Por isso, pagar as contas em dia é essencial. “A maioria das pessoas atrasa esse pagamento não por não terem o dinheiro, mas sim porque esquecem”, diz Alexandre Martins. Para resolver o problema vale tudo: pregar um lembrete na geladeira, habilitar débito em conta ou pela internet, o que couber melhor dentro da rotina da casa. 



via GNT









Horta doméstica

Inspire-se com estas idéias e faça a sua!


Nesta horta, a herborista Silvia Jeha, do Viveiro Sabor da Fazenda, indica que cada espécie tem crescimento e necessidades diferentes. “A alface, por exemplo, precisa de 20 cm de distância entre cada muda”. O sol também é um fator importante. A horta deve receber luz durante a manhã e à tarde, totalizando pelo menos quatro horas diárias
A herborista Silvia Jeha, do Viveiro Sabor da Fazenda, conta que cada espécie tem crescimento e necessidades diferentes. “A alface, por exemplo, precisa de 20 cm de distância entre cada muda”. O sol também é um fator importante. A horta deve receber luz durante a manhã e à tarde, totalizando pelo menos quatro horas diárias.

Nesta horta, a herborista Silvia Jeha, do Viveiro Sabor da Fazenda, indica que cada espécie tem crescimento e necessidades diferentes. “A alface, por exemplo, precisa de 20 cm de distância entre cada muda”. O sol também é um fator importante. A horta deve receber luz durante a manhã e à tarde, totalizando pelo menos quatro horas diárias
No terraço gourmet, a parede lateral tem uma horta vertical em vasinhos. Além de agradar aos proprietários do apartamento, que adoram cozinhar, as ervas e temperos dão um charme.
 
Nesta horta, a herborista Silvia Jeha, do Viveiro Sabor da Fazenda, indica que cada espécie tem crescimento e necessidades diferentes. “A alface, por exemplo, precisa de 20 cm de distância entre cada muda”. O sol também é um fator importante. A horta deve receber luz durante a manhã e à tarde, totalizando pelo menos quatro horas diárias
Canto gourmet: salsinha, cebolinha, hortelã e manjericão em vasos de cimento com 1,10 m de altura.

Nesta horta, a herborista Silvia Jeha, do Viveiro Sabor da Fazenda, indica que cada espécie tem crescimento e necessidades diferentes. “A alface, por exemplo, precisa de 20 cm de distância entre cada muda”. O sol também é um fator importante. A horta deve receber luz durante a manhã e à tarde, totalizando pelo menos quatro horas diárias 
 A horta também pode ficar dentro de casa. Na cozinha, a moradora aproveitou a janela da pia e colocou vasos, de diversos tamanhos e formas, com vários temperos.
 
Nesta horta, a herborista Silvia Jeha, do Viveiro Sabor da Fazenda, indica que cada espécie tem crescimento e necessidades diferentes. “A alface, por exemplo, precisa de 20 cm de distância entre cada muda”. O sol também é um fator importante. A horta deve receber luz durante a manhã e à tarde, totalizando pelo menos quatro horas diárias
Sobre a bancada da cozinha, os temperos mais usados para preparar os alimentos foram plantados em vasos dispostos como em uma escadinha. Charmoso e prático.
 

Nesta horta, a herborista Silvia Jeha, do Viveiro Sabor da Fazenda, indica que cada espécie tem crescimento e necessidades diferentes. “A alface, por exemplo, precisa de 20 cm de distância entre cada muda”. O sol também é um fator importante. A horta deve receber luz durante a manhã e à tarde, totalizando pelo menos quatro horas diárias
Na coluna com nichos, que fica na área de serviço do apartamento, é possível colocar vasinhos de terracota com ervas e temperos.

Nesta horta, a herborista Silvia Jeha, do Viveiro Sabor da Fazenda, indica que cada espécie tem crescimento e necessidades diferentes. “A alface, por exemplo, precisa de 20 cm de distância entre cada muda”. O sol também é um fator importante. A horta deve receber luz durante a manhã e à tarde, totalizando pelo menos quatro horas diárias
A horta em caixas de aço galvanizado com pintura eletrostática tem hera, lavanda, pimenta, manjericão e hortelã, além de salsinha nos minivasos.

Nesta horta, a herborista Silvia Jeha, do Viveiro Sabor da Fazenda, indica que cada espécie tem crescimento e necessidades diferentes. “A alface, por exemplo, precisa de 20 cm de distância entre cada muda”. O sol também é um fator importante. A horta deve receber luz durante a manhã e à tarde, totalizando pelo menos quatro horas diárias
Com o desnível do terreno, a horta é logo avistada por quem adentra o jardim. Foi instalada em uma caixa de tábuas de ipê certificadas, a mesma madeira do deque, que se estende pela área verde e forma um grande banco.


Nesta horta, a herborista Silvia Jeha, do Viveiro Sabor da Fazenda, indica que cada espécie tem crescimento e necessidades diferentes. “A alface, por exemplo, precisa de 20 cm de distância entre cada muda”. O sol também é um fator importante. A horta deve receber luz durante a manhã e à tarde, totalizando pelo menos quatro horas diárias
A moradora aproveitou a estrutura de ferro da janela para instalar as floreiras de plástico com hortelã, tomilho, cebolinha e outros temperos, que recebem o sol da manhã.

Nesta horta, a herborista Silvia Jeha, do Viveiro Sabor da Fazenda, indica que cada espécie tem crescimento e necessidades diferentes. “A alface, por exemplo, precisa de 20 cm de distância entre cada muda”. O sol também é um fator importante. A horta deve receber luz durante a manhã e à tarde, totalizando pelo menos quatro horas diárias
Jardineiras são ótimas para driblar a falta de espaço em apartamentos ou áreas pequenas. Da esquerda para a direita: manjericão, cebolinha, orégano, tomilho, alecrim e sálvia.

 
 



Lareiras

Lareiras a gás, álcool ou fluido de cereais - elas dispensam chaminé

Essas lareiras são fáceis de instalar e aquecem tanto ambientes internos quanto externos. As que você vê aqui foram apresentadas na Casa Cor e na Mostra Black.

O arquiteto baiano David Bastos adaptou o modelo a gás desenhado especialmente para ele pela Construfama às proporções deste spa. Uma caixa de aço de 6 m de comprimento acomoda três peças acionadas por controle remoto. A estrutura é de aço e sobre a grelha depositaram-se pedras vulcânicas.

 Ao pôr a lareira a gás no centro da mesa, o arquiteto Ricardo Rossi, de São Paulo, transformou o fogo na atração do ambiente. Com diâmetro de 60 cm, a versão, desenvolvida pela Construfama a pedido (como o modelo abaixo), aquece 80 m² e tem proteção de vidro.

 O anteparo de vidro refratário desenhado pela arquiteta Ana Maria Vieira Santos, de São Paulo, para esta sala tem função meramente decorativa –a lareira ecológica não produz fumaça. A Eco 66 (Ecofreplaces) utiliza fuido e tem acendimento por controle remoto, celular ou tablet.


 O banco rústico (1,75 x 1,72 m) de madeira canela acomoda a lareira feita sob medida para este ambiente aberto. Com recipiente de aço-carbono, ela funciona com álcool comum. “A beleza da chama aumenta o conforto do lounge”, observa o paisagista Edu Bianco, de São Paulo.


 Porções de terra sobre o espelho-d’água acomodam os modelos redondos Eco 35 e 36, da Ecofreplaces. O efeito visual é quase cênico, já que o formato concentra a saída de fogo, produzindo chamas altas. No jardim do paisagista paulista Alex Hanazaki, a chama proveniente do fuido não apaga com o vento


via





Lírio sem pólen e planta-ovo


Lírio sem pólen e planta-ovo são novidades da ExpoFlora 2012

Além do Lírio para alérgicos, a feira também teve uma flor gigante da África. Assista ao divertido vídeo para conhecer essas espécies exóticas



Um lírio que não não mancha a roupa nem causa alergia, uma flor africana que parece uma versão gigante de uma alcachofra e uma planta que dá frutos idênticos a ovos de galinha. Essas são algumas das novidades que a jornalista Carol Costa conferiu na ExpoFlora, a maior feira de flores e plantas ornamentais do Brasil, que acontece até o dia 23 de setembro, em Holambra (SP). Há 33 anos, a cidadezinha de 11 mil habitantes se transforma num grande jardim durante o mês de setembro. Nessa época, os cerca de 300 pequenos produtores da região apresentam ao público as flores, árvores e folhagens que logo estarão à venda em feiras, floriculturas e supermercados de todo o país. 

Para se ter uma ideia da importância de Holambra nesse mercado, 4 de cada 10 plantas vendidas no país é produzida nessa antiga colônia holandesa.


Para cobrir um evento que recebe 30 mil pessoas por dia, o CASA.COM.BR convidou a jornalista Carol Costa, autora da websérie "Como Cuidar de Orquídeas". “Não acredito nem em ‘dedo verde’, nem em ‘planta difícil’, acredito em informação. Qualquer pessoa pode ter vasos bonitos em casa ou no escritório, basta conhecer um pouco melhor a planta que está adotando.”

<p> A planta africana tem uma flor gigante que lembra uma alcachofra.</p> 
A planta africana tem uma flor gigante que lembra uma alcachofra.
Pensando nisso, a jornalista lançará na entrada da Primavera, dia 21 de setembro, o portal Minhas Plantas, que já nasce parceiro de CASA.COM.BR. “Além dos vídeos, teremos plantão de dúvidas, dicas de jardinagem e um banco de dados bem recheado, com tudo o que houver de informação sobre cada planta”, explica ela.




Índice A&C Agosto de 2012

Quanto custa construir em cada região?

Preços em reais, por m², referente ao mês de julho de 2012.




Como calculamos
O índice inclui os gastos com material e mão de obra necessários para construir um sobrado de 227,47 m², com acabamentos de padrão simples, médio e luxo. Os números excluem custo de projetos (que varia de 5 a 12%), gerenciamento e fiscalização da compra de materiais feitos por arquiteto, engenheiro ou empreiteiro (ficam entre 10 e 20%), elaboração e execução de paisagismo e serviços complementares. Nos padrões simples e médio, o sobrado tem estrutura de concreto e paredes de tijolo cerâmico. No luxo, de tijolo maciço. De um para outro, também mudam os acabamentos.