Páginas

Receba mais dicas valiosas para você e seu negócio

Tintas que não desbotam





Os pesquisadores já sintetizaram uma paleta completa de cores dos novos nanopigmentos inspirados no azul maia. [Imagem: Francisco Verdu Lab/Universidad de Alicante]

Os maias podem não ter previsto o fim do mundo, mas eles inventaram uma tinta que se tornou a base de todos os pigmentos que usamos hoje.

Em 1931, os cientistas ficaram estupefatos ao descobrir pinturas azuis muito vivas nas ruínas de Chichen Itza, no México.

Imediatamente batizado de "azul maia", o pigmento impressionou pela estabilidade, mantendo a cor, sem desbotar, desde os tempos pré-colombianos.

Este antigo pigmento, que demonstrou ser realmente quase imune à passagem do tempo, à erosão e à biodegradação, é considerado o precursor dos modernos pigmentos híbridos.

Agora, pesquisadores da Universidade de Alicante, na Espanha, inspirados pela antiga arte da produção de pigmentos da civilização maia, desenvolveram um novo método para a produção de um tipo de nanopigmento que combina o melhor dos dois mundos, o orgânico e o inorgânico.

Os pigmentos híbridos são criados usando uma mistura de compostos orgânicos e inorgânicos, onde a cor é devida a um composto orgânico muito eficiente, mas instável à luz.

Para superar a deficiência, é usado um estabilizador inorgânico, como se fosse um revestimento do pigmento, evitando a descoloração com o passar do tempo.

Tinta para qualquer coisa

A equipe do professor Francisco Verdú já sintetizou uma paleta completa de cores dos novos nanopigmentos, que já foram devidamente patenteados.

Segundo o grupo, as propriedades dos pós coloridos garantem sua dispersão tanto em meios polares, como não polares, tornando-os úteis para várias aplicações industriais, tais como tintas para impressoras, paredes, revestimentos, têxteis, papel, fibras sintéticas ou naturais, cosméticos, materiais de embalagem poliméricos etc.

"Ao contrário dos pigmentos convencionais, que contêm metais pesados na sua composição, podendo causar reações alérgicas, processos cancerígenos, etc, os nanopigmentos híbridos estão livres de tais compostos," disse o professor.

Além disso, "a sua produção consome pouca energia e as matérias-primas empregadas são facilmente disponíveis, não-tóxicas e apresentam uma excelente resistência ao calor, à radiação ultravioleta, ao oxigênio e outros agentes ambientais, em comparação com os corantes orgânicos alternativos," concluiu o pesquisador.

Antes virarem um produto comercial, porém, os pesquisadores precisarão escalonar sua técnica de fabricação das nanopartículas híbridas do laboratório para o nível industrial.




Piscinas

Inspire-se!


















Jardins verticais

Inspire-se!

 
Ambiente da Morar Mais por Menos Curitiba, o terraço de 138 m² recebeu um projeto de paisagismo em estilo mediterrâneo assinado por Eder Matioli: em 50 meios vasos de PVC  parafusados direto na parede, o profissional colocou plantas adultas, como petúnias, Vinca Major e Véu de Noiva, em toda a superfície ao redor da porta que dá acesso a um dos quartos da casa.


 Ambiente projetado pela arquiteta Leticia Wassali para a mostra Campinas Decor, esta lavanderia tem com primeira preocupação a sustentabilidade: por meio de um sistema de tratamento de águas cinzas, a água da máquina de lavar é tratada e utilizada para regar o jardim vertical que ocupa uma das paredes do espaço. Peperômias, colunéias e ripsális ocupam os vasos pendurados no painel composto de placas de vidro.


 O proprietário desta casa, localizada em São José dos Pinhais, queria um espaço onde pudesse receber os amigos e tomar seu chimarrão nos dias quentes. Para tornar a área ao lado da churrasqueira mais aconchegante, o paisagista Eder Matioli criou um jardim vertical usando o mesmo material do piso: as placas de madeira itaúba receberam vasos cerâmicos fixados com parafusos repletos de suculentas.



 A missão do paisagista Julio Anjos para esta casa de São Paulo era aproveitar o máximo possível uma sobra de terreno da casa. O jardim vertical foi uma solução natural e o profissional optou por ripsális e orquídeas chuva-de-ouro, ambas fixadas em placas de fibra de coco emborrachadas presas à parede. No solo, moreias brancas e bromélias.


 Jardim dos Encontros é nome do espaço projetado pela paisagista Marisa Lima para a Casa Cor São Paulo: um local aconchegante que serve para receber amigos e família. O painel foi feito com módulos de plástico reciclado que se encaixam e formam nichos onde são colocadas as plantas. Marisa optou por aspargos, liriops e filodendro.


 Assinado pela paisagista Marizeth Estrela, este jardim fica em uma casa paulistana localizada no bairro do Itaim Bibi. Vasos de fibra de coco estão fixados em um painel de madeira e abrigam ripsalis (na parte esquerda, é de um espécie que cresce para cima; na direita, uma variedade pendente). Seixos de rios e deque de madeira completam o espaço.



 Construído no início da década de 1990, este jardim fica em uma cobertura da cidade do Rio de Janeiro e leva a assinatura da paisagista Ana Toledo. Uma resistente treliça de madeira foi fixada parede e serve de apoio para uma camada de placas de xaxim (na época do projeto, seu uso era permitido e comum), que recebeu espécies de orquídeas, bromélias e cactos.


 
Para tornar a parte externa de um estúdio musical, localizada na cidade de São Paulo, mais aconchegante, a paisagista Marizeth Estrela optou por pendurar gerânios de várias cores na parte superior da parede laranja. As flores foram colocadas em vasos de plásticos de cor terracota fixados na parede com bucha e parafuso.






Cadeira Suspensa


 Que tal você fazer sua própria cadeira suspensa?
Você pode colocá-la na varanda, no jardim, ou onde sua imaginação mandar!

Veja o passo a passo no site  So you think you're crafty.










Custo da construção civil paulista registra alta de 0,24% em março

O Custo Unitário Básico, que reflete a variação mensal das despesas do setor, foi de R$ 1.027,05 por metro quadrado.

 O preço do material da construção civil paulista registrou alta de 0,24% em março, no comparado com o mês de fevereiro deste ano. É o que revela a pesquisa divulgada nesta segunda-feira (1) pelo SindusCon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo) e pela FGV (Fundação Getúlio Vargas).

O CUB (Custo Unitário Básico) reflete a variação mensal das despesas do setor para utilização nos reajustes dos contratos da construção civil. Nesse mês, ele foi de R$ 1.027,05 por metro quadrado.

Em março, o custo das construtoras com materiais de construção apresentou elevação de 0,19%. Já os custos com mão de obra cresceram 0,28% e as despesas administrativas apresentaram estabilidade.








Em março, o custo das construtoras com materiais de construção apresentou elevação de 0,19% (Thinkstock)
Em março, o custo das construtoras com materiais de construção apresentou elevação de 0,19% (Thinkstock)
Alta dos preços
Dos 41 itens de material de construção analisados, no terceiro mês do ano, 14 registraram alta acima do IGP-M, que aumentou 0,21% no mês. Entre os maiores reajustes estão alimentação tipo marmitex, com 2,33%, eletroduto PVC rígido, 1,86%, aço CA-50, com 0,61%, e fio de cobre anti-chama, que registrou aumento de 0,47%.


Livro reúne bizarrices da tradução


 Em "Perdidos na Tradução", o professor e tradutor Iuri Abreu reuniu algumas das grandes bizarrices vistas nos títulos de filmes em português. 

"Não é preciso muita intimidade com a língua inglesa para perceber que alguns títulos nacionais de filmes estrangeiros não são nem um pouco fiéis ao original", conta o autor. "Neste caso, saio em defesa de meus colegas, porque a decisão fica a cargo da distribuidora". 

Com prefácio de José Wilker, a edição é divida em "A Maldição do Subtítulo", "Poesia Pura", "Liberdade Total", "Fiéis ao Original" e "Entregando o Jogo". 

Abaixo, conheça um exemplo de cada um desses capítulos:

A Maldição do Subtítulo
"Blade Runner"
Tradução literal: "O Corredor da Lâmina"
Em Portugal: "Blade Runner: Perigo Iminente"
No Brasil: "Blade Runner: O Caçador de Androides"

Poesia Pura
"Giant"
Tradução literal: "Gigante"
Em Portugal: "Gigante"
No Brasil: "Assim Caminha a Humanidade"

Liberdade Total
"Annie Hall"
Tradução literal: "Annie Hall"
Em Portugal: "Annie Hall"
No Brasil: "Noivo Neurótico, Noiva Nervosa"

Fiéis ao Original
"Cold Mountain"
Tradução literal: "Montanha Fria"
Em Portugal: "Cold Mountain"
No Brasil: "Cold Mountain"

Entregando o Jogo
"The Bucket List"
Tradução literal: "A Lista do Balde"
Em Portugal: "Nunca é Tarde Demais"
No Brasil: "Antes de Partir"


"Perdidos na Tradução"
Autor: Iuri Abreu
Editora: BelasLetras
Páginas: 288
Quanto: R$ 23,90 (preço promocional*)
Onde comprar: pelo telefone 0800-140090 ou pelo site da Livraria da Folha
* Atenção: Preço válido por tempo limitado ou enquanto durarem os estoques. Não cumulativo com outras promoções da Livraria da Folha. Em caso de alteração, prevalece o valor apresentado na página do produto.
Texto baseado em informações fornecidas pela editora/distribuidora da obra.

Cota de consórcio de imóveis avança 11%



Valor médio da cota de consórcios de imóveis avança 11,9% em fevereiro. 
 
 
 
Segundo a Abac, o tíquete médio do segmento passou de R$ 94,5 mil em 2012 para R$ 105,7 mil no segundo mês do ano.

SÃO PAULO - O valor gasto pelo brasileiro em consórcios de imóveis apresentou aumento no segundo mês deste ano, em relação a igual período do ano passado. Segundo dados divulgados pela Abac (Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios) nesta segunda-feira (1), o tíquete médio do segmento imobiliário subiu 11,9%, passando de R$ 94,5 mil para R$ 105,7 mil no período.

Além disso, houve crescimento de 7,1% no número de participantes. No bimestre, ainda em comparação com igual período de 2012, o segmento registrou alta de 4,3% nas contemplações e se manteve estável na venda de novas cotas.

No que diz respeito ao uso do FGTS, o estudo aponta que, no primeiro bimestre, foram utilizados R$ 16 milhões por mais de 700 trabalhadores.


Houve crescimento de 7,1% no número de participantes dos consórcios de imóveis
Houve crescimento de 7,1% no número de participantes dos consórcios de imóveis
GeralConsiderando o sistema de consórcios como um todo, em fevereiro, este atingiu recorde histórico ao alcançar a marca de 5,3 milhões de participantes e, apesar do tradicional comportamento do brasileiro nos primeiros meses do ano – mais voltado a férias, Carnaval e compromissos pessoais e familiares, as vendas de novas cotas cresceram 5,2%.


Além do consórcio de imóveis, serviços e veículos automotores também apresentaram resultados positivos no período.


FireMe! - Site rastreia profissionais que reclamam de seus chefes e empregos no Twitter





Além de rastrear em tempo real, o FireMe! ainda traz o ranking das pessoas que têm as maiores chances de serem demitidas, pela intensidade dos seus tweets negativos

SÃO PAULO - Quem nunca ouviu histórias sobre pessoas que foram despedidas de seus trabalhos por publicarem comentários inapropriados nas redes sociais? Neste caso, o nível de desemprego pode aumentar consideravelmente após o site FireMe! (ou ‘Me Demita’, em português) ser lançado na versão inglês e português.

O site alemão consegue rastrear palavras relacionadas ao emprego emitidas pelo Twitter, caso os usuários da rede social reclamem de seus chefes, trabalhos e até façam ameaças aos respectivos gestores.

Através da plataforma, o internauta - possivelmente empregadores - pode procurar o desabafo dos profissionais por quatro sessões: “Maus Empregadores”, que mostra os tweets com críticas sobre os empregos, “Chefes Intragáveis”, reclamações sobre seus chefes, “O Chefe que se...”, tweets que começam com essa frase, e “Assassinos em Potencial”, que revela as inúmeras ameaças dos profissionais aos seus gestores.
Objetivo é conscientizar os internautas do perigo da publicação de dados na Web  (Reprodução)




 
Objetivo é conscientizar os internautas do perigo da publicação de dados na Web (Reprodução)
O site ainda traz o ranking das pessoas que têm as maiores chances de serem demitidas, pelo número de tweets negativos sobre seu trabalho ou chefe.

Segundo o site, o objetivo é conscientizar os internautas do perigo da publicação de dados na Web. “A maioria das pessoas não sabe que na Internet: uma vez dito, nunca mais poderá voltar atrás”, descreveu.

Sobre a política de privacidade, os idealizadores do site explicam que todos os tweets disponíveis no site foram publicados primeiramente no Twitter. Caso o usuário queira retirar o desabafo do FireMe! basta contatar sua equipe.


Bairros da zona sul de SP renovam paisagem e atraem residenciais

Bons restaurantes, casas de show, avenidas importantes e o aeroporto de Congonhas. Para o morador da zona sul, são várias as vantagens de residir nessa região, que tem o principal mercado imobiliário de São Paulo. 

Nos últimos três anos até fevereiro, foram lançados 39.524 apartamentos lá, segundo estudo inédito da imobiliária Lopes. Na prática, 38% das unidades da cidade foram ofertadas na zona sul. 



Marcelo Justo/Folhapress
                   Jairo Ferreira da Silva, na sacada de seu apartamento, em Santo Amaro, na zona sul
                
O contador Jairo da Silva, na sacada de seu apartamento, em Santo Amaro; ele mudou de bairro, mas não saiu da zona sul.

A busca do contador Jairo Ferreira da Silva por um apartamento de padrão mais alto tinha como pré-requisito continuar na região, em razão, segundo ele, dos melhores restaurantes e shoppings que diz encontrar lá. Da Vila Andrade, mudou-se para Santo Amaro, "na área mais nobre, perto da marginal". Da sacada, ele acompanha as transformações da zona sul, que se expande. 

Área que concentra alguns dos bairros mais valorizados da cidade, como a Vila Nova Conceição, a zona sul passa a receber empreendimentos em locais onde havia galpões e fábricas desativadas, como a Chácara Santo Antônio, próxima à marginal Pinheiros. 

Essa região faz parte da operação urbana Água Espraiada, que tem como diretriz a revitalização e um conjunto de obras públicas em seis áreas da zona sul. 

Com isso, de local com fábricas e galpões, o bairro passou a ser visto como uma continuação do já consolidado bairro do Brooklin, segundo Filipe Soares, diretor de incorporação da Yuny. Ele acrescenta que a av. Chucri Zaidan, em obras, terá importância semelhante à da av. Luís Carlos Berrini, após ser prolongada até a av. João Dias. 

No Brooklin, o empreendimento Habitarte, a ser lançado neste semestre, ficará em uma área de 20 mil metros quadrados. Perto dali, o Parque da Cidade será um complexo multiúso com dez torres em terreno de 80 mil metros quadrados. A parte residencial deverá ser lançada até 2015. 

Segundo Leila Jacy, diretora da incorporadora Stan, a região recebeu um investimento em infraestrutura muito forte: "Havia espaço para formar terreno e hoje é uma região bem desenvolvida, com muitos lançamentos". 

O mercado imobiliário também aposta nas imediações das novas estações da linha 5-lilás, como a estação Adolfo Pinheiro, que será entregue no segundo semestre deste ano, segundo o Metrô. 

Nick Dagan, diretor de incorporação da Esser, diz que há uma grande dificuldade de locomoção da região ao centro ou à avenida Paulista, o que, segundo ele, justifica o interesse das incorporadoras. 

MORUMBI

Líder em unidades na zona sul, segundo a Esser, com 21% do total lançado em 2012, o Morumbi deverá diminuir a oferta. O motivo é que o estoque de outorga onerosa está esgotado. O instrumento permite construir empreendimentos acima do limite básico, mediante pagamento à prefeitura pelas incorporadoras.

 Editoria de Arte/Folhapress


 
via



Revestir 2013: cozinhas e banheiros tecnológicos

Banheiras freestanding (soltas da parede) e vasos sanitários suspensos são algumas das brincadeiras de design no banheiro. Cozinha também está cada vez mais high-tech.

 

Cada vez mais venerados, cozinhas e banheiros viraram reduto de produtos cheios de design e tecnologia. Além das torneiras acionadas com um simples toque, há as versões gourmet, dotadas de recursos que auxiliam no preparo e na higienização dos alimentos. “Mesmo quem não cozinha acha o visual dessas peças bacana”, afrma o arquiteto Ricardo Miura, de São Paulo. No banheiro, considerado um templo de bem-estar, as banheiras freestanding (soltas da parede) se consagraram. Já os metais com formas irreverentes e os vasos sanitários suspensos do piso começam a se destacar.

Basta um toque para acionar o monocomando Minta Touch, da Grohe.

 
De vidro e inox, a coifa Downdraft (1,05 x 0,88 m) pode ser embutida na bancada ou num armário superior. Fendas frontais garantem a sucção de fumaça. Da Franke.

A mistura de ar e água, tecnologia do chuveiro cromado Aquamax (21 cm de diâmetro), reduz o consumo sem alterar a abundância dos jatos. Da Deca.

 

Com 1 mm de espessura, o ralo de inox Slim vai bem em banheiros e áreas externas. Da Tramontina, mede 60 x 70 cm e 80 x 70 cm.





A torneira de bica alta Genius Flex, da Docol, possui acionamento automático ou giratório, proporcionando economia de água.

Com hidromassagem, a banheira freestanding Luau (2,03 x 1,10 m) leva sandstone, tipo de pedra composta de minerais. Da Sabbia.


Desenhados por Philippe Starck para a Duravit, a bacia suspensa (37,5 x 62 cm) não traz parafusos aparentes e o assento Sensowash é aquecido.

 

via