Páginas

Receba mais dicas valiosas para você e seu negócio

Caixa derruba juros para financiamento de imóveis

Apesar de não divulgar novas taxas anuncio será realizado nesta quarta-feira (25/04)

A CFE (Caixa Econômica Federal) anunciará nesta quarta-feira (25) a diminuição dos juros para financiamentos imobiliários. Apesar de ainda não divulgar as novas taxas a caixa também vai lançar nesta quarta- feira a oitava edição do “Feirão da Casa Própria”. Com inúmeros imóveis à venda a instituição promove o evento para a população de baixa renda. 

A redução no corte das taxas acontece para ofertar juros de empréstimos ao consumidor dado às empresas. Além da Caixa Economia e o Banco do Brasil, outras instituições também anunciaram cortes nas últimas semanas como Bradesco, Santander e HSBC. Com recursos de R$ 2 bilhões voltada à compra de imóveis a caixa anunciou que linha branca também irá fazer parte de financiamentos para  o programa "Minha Casa, Minha Vida".

Veja as novas taxas de juros cobradas pelos bancos brasileiros*
Após apelo do governo, crédito para empresas e correntistas está mais barato
Nova taxa de jurosNova taxa de juros
Crédito Consignado do INSS
Cartões de Crédito
Financiamento de Veículos
Cheque Especial
a partir de 0.79%
a partir de 2.94%**
a partir de 0.95%
a partir de 1.38%
Crédito Consignado do INSS
Cartões de Crédito
Financiamento de Veículos
Cheque Especial
de 0.75% a 1.77%
de 2.85%** a 9.47%
a partir de 0.89%
de 1.35% a 4.27%
Nova taxa de jurosNova taxa de juros
Crédito Pessoal
Crédito Consignado
Financiamento de Veículos
Cheque Especial
de 1.99% a 5.93%
de 0.99% a 4.7%
de 0.98% a 2.55%
de 1.39% a 9.98%
Giro de Cartões
Duplicatas
Recebíveis de cartões
Cheques
de 1.54% a 3.12%
de 1.99% a 2.97%
de 1.5% a 2%
de 1.87% a 2.49%
Nova taxa de jurosNova taxa de juros
Crédito Pessoal
Crédito Consignado para Aposentado
Cartões de Crédito
Financiamento de Veículos
Crédito para compra de bens (CDC)
Capital de Giro (empresas)
a partir de 1,97%
a partir de 0,9%

a partir de 2,49%
a partir de 0,97%
a partir de 2.97%

a partir de 2.9%
Crédito Pessoal
Crédito Consignado para Aposentado
Cartões de Crédito**
Financiamento de Veículos
Cheque Especial**
Cheque Especial para empresas
Capital de Giro (empresas)
Desconto de duplicatas e cheques (empresas)
Recebíveis de cartões (empresas)
de 0.89% a 2.20%
a partir de 3.85%

a partir de 0.99%
a partir de 1.95%
a partir de 1.95%
a partir de 1.14%

a partir de 1.29%

a partir de 1.05%


Dicas para pagar menos juros

1º - Fale com o gerente e pergunte sobre as menores taxas. Nem sempre o banco enquadra o cliente automaticamente na nova linha de crédito

2º - Caso seu banco não ofereça taxa satisfatória, procure outros bancos e pesquise as taxas de juros

3º - A taxa de juro varia de cliente para cliente. Para decidir a taxa, o banco leva em conta fatores como tempo de relacionamento e forma de uso do crédito


*Taxas ao mês
**Com conta-salário
***Somente para empresas

Fontes: Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Santander, Itaú-Unibanco, HSBC e Bradesco

Via  R7


Vamos pedalar?

Na terra, na represa, na fazenda
Pedalar no asfalto não faz o seu estilo? Coloque a bicicleta no carro e conheça três trilhas mapeadas e arborizadas perto de São Paulo



Nazaré Paulista

Parte da água potável consumida em São Paulo vem do reservatório da Represa Atibainha, atração desta trilha. O percurso tem 17,8 quilômetros sem ladeiras. Começa em frente à entrada da Pousada fazendinha. A 700 metros, cruza a represa por uma ponte de concreto. Com a margem do lado direito, entre na Mata Atlântica úmida, fresca, sombreada. Depois de 10 quilômetros, a trilha encontra uma estradinha de asfalto e cruza outra ponte de concreto sobre a represa. Esse já é o trecho final de volta ao ponto de partida, à margem da represa.

COMO CHEGAR
Pegue a saída 39 da Dom Pedro I (sentido Atibaia) para Santa Luzia. São 7 quilômetros de estrada de terra até a represa mais 2 até o início da trilha.

Serra do Japi

As trilhas montanhosas do Japi, em Jundiaí, são difíceis, mas a região, que é reserva da Biosfera pela Unesco, vale a pedalada. a mais amigável tem 31 quilômetros e começa no Pesqueiro Pescar, na Estrada Santa Clara. A trilha segue 500 metros em asfalto e, depois do único bar do pedaço, continua por 1 quilômetro. Uma estrada de terra leva ao asfalto da deserta Cajamar– Pirapora e passa em frente ao restaurante Japiapé, pitstop no km 10,8. A 800 metros dali, pegue a Rua Monte Serrat. Mais 3,4 quilômetros de terra e tome a direita na bifurcação. Siga optando pela direita nas encruzilhadas, sempre o caminho mais largo, até voltar ao início. A segunda metade da trilha é mais arborizada e segue um riacho.

COMO CHEGAR
No km 53 da Anhanguera, passe sob a rodovia e siga à direita na marginal. Depois de 800 metros, entre à esquerda no sentido Vila Maringá. Santa Clara está 5 quilômetros adiante.

Paranapiacaba

A vila de Paranapiacaba surgiu como base de apoio para a construção da ligação ferroviária entre São Paulo e Santos na boca da Serra do Mar. Ali viveram operários e engenheiros ingleses que reproduziram a arquitetura de seu país. A região é ainda hoje rica em Mata Atlântica densa, preservada no Parque Estadual da Serra do Mar. Não faltam trilhas, nem todas apropriadas ao mountain bike. Você pode começar no Portal de Paranapiacaba. Cruze a vila sem nunca mudar de rua e chegue à guarita do parque. Da guarita são mais 3,2 quilômetros até a vila cenográfica de Taquarussu. São casinhas e uma capela, cenário perfeito para um piquenique. Mais 6,1 quilômetros, deixe a estradinha seguindo as torres de alta tensão. É uma trilha no meio do pasto, um singletrack (“caminho de vaca” no mountainbykês). Aí se vai por um caminho e se volta por outro, até o ponto de partida.

COMO CHEGAR
 No km 29 da Anchieta, acesse a Rodovia Índio Tibiriçá sentido Ribeirão Pires. Saia à direita na Avenida Francisco Tometich, 12 quilômetros depois. E siga nela por 1,5 quilômetro até a Igreja São José da Boa Viagem, na SP-122


Via   Viagem

Seguro residencial

Itaú prevê crescer até 25% em seguro residencial em 2012


A expansão prevista, se confirmada, ficará acima do crescimento de todo mercado, estimada em 17% para 2012. O Itaú, que opera no segmento de seguro residencial em conjunto com a Porto Seguro, tem 28% desse mercado.

O Itaú Unibanco prevê um crescimento de 22% até 25% em 2012 no segmento de seguros residenciais, informou nesta quinta-feira o diretor da Itaú Auto e Residência, Ney Dias. A expansão prevista, se confirmada, ficará acima do crescimento de todo mercado, estimada em 17% para 2012.

Para o executivo, o aumento das vendas de apólices deverá ser puxado pela própria expansão do mercado imobiliário, do crédito habitacional e da alta do poder aquisitivo da população. Para Dias, o espaço para o crescimento é grande porque, hoje, segundo ele, menos de 9% das casas brasileiras estão seguradas. O seguro residência oferece proteção contra incêndio, roubo e raios.

O Itaú, que opera no segmento de seguro residencial em conjunto com a Porto Seguro, tem 28% desse mercado. Em 2011, o segmento movimentou R$ 139 milhões em prêmios, acima dos R$ 130 milhões de 2010.


Via Exame

Torre de vasos


Uma alternativa criativa para suas flores!


A questão do espaço é sempre recorrente quando falamos em decorar e afeta também nossas escolhas para vasos de plantas. A torre de vasos é uma alternativa mais que interessante, é criativa, e possibilita que você tenha um pouco de cada planta preferida num único espaço.


A torre acima recheada de petúnias, dá um resultado super bacana, pois essas flores caem em cascatas fazendo com que o efeito visual seja ainda mais impactante.

Tudo que você precisa é um cabo de vassoura velha para fazer o papel de tutorial na torre de vasos. 
 
 
 Deixe cada vaso com um furo descentralizado, para tirar mais proveito, o único trabalho será plantar as mudas. Confira mais dicas no site, clique Hubpages.


E é claro que dá pra usar a mesma sugestão para aquela horta de temperos. Aqui a proposta foi beneficiada pelo formato do vaso, com pequenos nichos ao redor que intercalados facilitaram o plantio de temperos variados. Super bacana.


Essas sugestões não requerem nem prática nem habilidade para serem reproduzidas, então não tem desculpa. Encontre vasos bem legais e faça sua própria torre, cheia de verde, cheia de vida e sabor.



Via  Vila do Artesão

Vaso de barro decorado com craquelê

Veja que ótima idéia da Lu Areias, que usa a pintura craquelê para deixar o ambiente mais charmoso:


  

Se você mora em prédio ou um lugar sem muito espaço para as flores, esse vasinho é uma opção ideal de decoração.



Materiais Utilizados:
• Vasinho de cerâmica
• Tinta Nature Colors nas cores branca, verde-pinheiro, verde-gris, sépia, siena-natural, violeta-escuro e palha; e Kit craquelê na cor branca, da Acrilex
• Carimbo “lavender”, da Rosana Martinez
• Rolinho de espuma
• Pincel chato nº 16, língua de gato nº 6 e liner nº 18/0, da Import
• Bandeja de EPS


Coloque as tintas branca e verde-gris sobre uma bandeja de EPS. Passe o rolinho nas duas tintas, mesclando-as suavemente. Ainda com o rolinho, dê uma demão em toda a peça. Aguarde a secagem por 5 minutos.

Com o pincel chato, aplique uma camada de verniz base craquelê no vaso. Aguarde a secagem por 4 horas. Com o mesmo pincel, passe uma camada de tinta craquelê branca e aguarde mais 4 horas.

Com o pincel liner e as tintas verde-pinheiro e verde-gris, desenhe os galhos da flor.
Com o pincel língua de gato e as tintas branca e violeta-escuro, faça as flores.
Com o pincel língua de gato e a tinta siena-natural, faça a cordinha do ramo de flores.
Com o pincel liner e as tintas palha e sépia, sombreie o desenho.

Com o pincel liner e as tintas palha e sépia, sombreie o desenho.


Onde encontrar:
Lu Areias - Tel.:(11) 6339-9220
Acrilex - Tel.:(11) 4397-9255, www.acrilex.com.br
Pincéis Import - Tel.: (11) 4476-3567, www.pincelimport.com.br
Rosana Martinez - Tel.:(11) 2601-7074, 9226-5690, rosana3349@gmail.com,studiorosanamartinez@yahoo.com
Fonte  Portal de Artesanato 







Faça a conta certa antes de comprar a casa própria

(Foto: Divulgação)
É preciso reservar uma parte do orçamento para os gastos com decoração (Foto: Divulgação)

Ter um teto para morar é, sem dúvida, o sonho de muitos. Mas para que esse sonho vire meta é preciso organizar as despesas domésticas antes de bater o martelo e fechar o negócio. Atenção é fundamental neste momento, pois além do financiamento, a aquisição de um imóvel envolve outras cobranças, como o Imposto de Transmissão de Bens Intervivos (ITBI) e o registro no cartório de imóvel, que podem custar até 5% do valor do bem.

Especialistas esclarecem que a situação cadastral da pessoa conta muito nesta hora. Alguns clientes possuem desconto enquanto outros não. Mas no geral, o montante usado para a escritura fica mesmo dentro dos 5% do valor total da transação.

É preciso ainda reservar uma parte do orçamento para os gastos com decoração e possível reforma do imóvel. Decoradores estimam que essa despesa possa custar até 20% do valor total do imóvel. Ou seja, num apartamento de R$ 200 mil, chuveiro, luminárias, piso, móveis e outros detalhes da decoração vão custar aproximadamente R$ 40 mil para o proprietário, que tem ainda que arcar com as parcelas mensais do financiamento.

Por isso, para evitar surpresas e iniciar o negócio com o pé direito, leia atentamente os tópicos adiante com todos os custos envolvidos na aquisição da moradia e analise se chegou a hora de investir na casa própria.

Compromisso de venda e compra - Depois de decidir que irá comprar o imóvel, o primeiro passo é assinar e registrar em cartório o Instrumento Particular de Compromisso de Venda e Compra. Se estiver inclusa neste documento alguma minuta que você discorde, converse com o corretor. É importante esclarecer que todas as cópias e documentos autenticados e reconhecidos serão pagos pelo interessado no imóvel.

Documentos - Para solicitar o resgate do FGTS e dar entrada no financiamento, é preciso entregar para o corretor os documentos solicitados pela CEF (Caixa Econômica Federal) e pagar aproximadamente R$ 500 para montagem da pasta e entrega do dossiê à agência bancária.

Sinal – Será necessário dar um sinal para o vendedor do imóvel. A quantia varia segundo o combinado entre as partes. Mas não se preocupe, esse valor será abatido do custo total do imóvel, funcionando como uma espécie de ‘entrada’.

Entrevista – Após a entrega dos documentos e a vistoria da caixa no imóvel, será agendada entrevista na Caixa para averiguar a quantia existente no fundo, conhecer as modalidades de financiamento (SAC ou Tabela Price) e tirar todas as dúvidas sobre a aquisição do bem. Neste dia serão desembolsados R$ 350 pela inspeção e resgate do FGTS.

Assinatura – Chegou o dia de fechar o negócio, assinar um calhamaço de papéis e desembolsar tudo o que você guardou para materializar este sonho. O mais alto serão os 5% do valor do imóvel destinado ao ITBI e ao registro do imóvel no cartório, que vão ser entregues em dois cheques para o corretor ou outro profissional responsável por levar todos os documentos firmados nesta data até o cartório. Para se ter uma ideia, no caso de um imóvel negociado a R$ 240 mil, R$ 4.800 é destinada ao pagamento do ITBI e R$ 4.350 ao registro em cartório. Além disso, o restante do valor da entrada deverá ser entregue ao vendedor.

 E para finalizar, é preciso pagar para Caixa R$ 600 pela emissão de documentos e serviços prestados.


Via  ZAP Imóveis 



Alternativas à fiança locatícia e outras notas

ALTERNATIVAS À FIANÇA LOCATÍCIA
Atualmente, quatro alternativas estão à disposição dos inquilinos que não conseguem fiadores para alugar um imóvel: 1) O seguro de fiança locatícia, cujo custo médio anual está na casa dos 130% de um aluguel mensal e tem a seguradora Porto Seguro como líder de mercado; 2) O título da Sul América Capitalização, com valor correspondente ao de doze meses de aluguel (com a vantagem de não ser uma despesa, mas sim um investimento compulsório, feito de uma só vez); 3) A caução em dinheiro, cujo valor deve ser de no máximo três meses de aluguel – e que, por isso, normalmente não é aceita pelos locadores; 4) A fiança profissional, oferecida por algumas empresas especializadas, como a FianHouse, cujo custo monta cerca de um aluguel.

ALAVANCAGEM DE CAPITAL
Cada vez mais utilizadas no mercado, as sociedades de propósito específico – criação do novo Código Civil – tem viabilizado a construção de grandes empreendimentos. As incorporadoras de shoppping centers, por exemplo, vêm sendo as principais usuárias do sistema, que viabiliza a busca de recursos junto a pequenos investidores, a um custo inferior aos financiamentos bancários. Bom para ambas as partes envolvidas no negócio.

CAETANO VERSUS ODEBRECHT
Caetano Velloso arrumou um arranca-rabo com a construtora Odebrecht. O cantor e compositor baiano não aceita que a empresa batize um dos seus condomínios de luxo com o nome “Tropicália”, alegando que o termo pertence ao movimento cultural e musical surgido nos anos 60, do qual foi um dos líderes. Segundo Caetano, a ação judicial que está propondo contra a Odebrecht, não visa qualquer indenização, mas a simples proibição do uso comercial da palavra.

CONDÔMINOS DESAPARECIDOS
Conforme um levantamento realizado pela administradora paulista Lello, aproximadamente 70% dos condôminos não comparecem às assembléias gerais ordinárias ou extraordinárias convocadas pelos síndicos. Ainda de acordo com a mesma fonte, a única exceção são as reuniões onde se discutem questões relacionadas com garagens, onde o quórum é alto. È preciso lembrar que, se a convenção ou a lei não exigirem algum quorum qualificado, a decisões das assembléias, ainda que tomadas por poucos, obrigam todos os condôminos.

ALUGUÉIS COM REAJUSTE MÍNIMO
O reajuste dos aluguéis em março (para pagamento em abril), cujos contratos de locação prevêem o IGP-M como indexador, será um dos mais baixos dos últimos tempos: 3,43%. Multiplique seu aluguel atual por 1,0343 e você encontrará o valor dos próximos doze meses. Os locadores não estão nada satisfeitos.

CONSTRUTORAS E INCORPORADORAS INADIMPLENTES
No ano passado, as reclamações contra construtoras e incorporadoras aumentaram quase 60% em relação a 2010. A AMSPA – Associação dos Mutuários de São Paulo e Adjacências, relatou que a maior parte das queixas disse respeito a problemas com atraso nas obras, vícios ou defeitos construtivos, cobranças de taxas abusivas. Entre janeiro e dezembro, foram registradas 2.199 reclamações e 32% dos reclamantes deram entrada na justiça.

DICAS DE INVESTIMENTO
Investidores podem ter um excelente retorno de capital com aplicações no mercado imobiliário, ou garantir uma fonte de renda segura. De uma forma geral, investir em apartamentos, salas comerciais e lotes é quase sempre um bom negócio, mas no momento de escolher o imóvel para adquirir, o fundamental é estar atento a quatro fatores: o ponto, a planta, o padrão de acabamento e o preço. A aliança desses quatro itens é garantia de um ótimo negócio.

IMÓVEIS PREFERENCIAIS PARA INVESTIDORES
Uma boa parte dos mais matreiros investidores imobiliários adoram imóveis mal cuidados. O motivo é simples: se o vendedor não se preocupa com a aparência do seu bem, muito provavelmente não o valoriza ou não tem recursos para fazê-lo. Em ambos os casos, tenderá a fazer um bom desconto para pagamento à vista.

AS ROTAS DO CRESCIMENTO
Os franceses têm um ditado para indicar qual o caminho a seguir quando se quer encontrar a resposta a uma questão: “Cherchez la femme!”. No mercado imobiliário brasileiro, quem desejar saber quais os prováveis caminhos do crescimento de uma cidade, deve ficar atento às linhas de ônibus e de metrô.